74% das casas de repouso de São Paulo não tem alvará

No que diz respeito a  licença da Vigilância Sanitária, 73% estão irregulares

O MP-SP (Ministério do Público de São Paulo) fez um levantamento sem ter sido constatado que uma maior parte das casas de repouso instaladas no estado de não licença da Vigilância Sanitária ou o alvará De vistoria do Corpo de Bombeiros.

De acordo com este experimento, das 1543 instituições, 1141 não apresentam o documento de segurança emitido pelas corporações, o que equivale a 74%. Já no que diz respeito ao certificado que confirma os seus requisitos mantém condições sanitárias adequadas, 1132 irregularidades, ou seja, 73%.

Dados do MP-SP apontam que mais de 40 mil idosos viviam em entidades de longa permanência no primeiro semestre deste ano. Número 13,2% maior do que o registrado na relação de 2015, e 28% superior quando comparado às informações divulgadas em 2010, pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Assim, para suprir a demanda de pessoas que procuram esses lugares, aumentou, também, a quantidade de casas de repouso. Do ano passado para 2016, houve um acréscimo de 120 estabelecimentos, no período de 12 meses, sendo que 97% são instituições privadas. Destas, 64% tem finalidades lucrativas e, o restante, é filantrópico.

Com a exposição de dados, o Ministério Público almeja abrir os olhos das promotorias de justiça para melhorar a fiscalização e aumentar o grau de qualidade dos serviços prestados aos idosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *